Irecê

Na luta pela vida, jovem ireceense dá lição de fé e otimismo

Diagnosticada com leucemia, Jaciara Dourado compartilha sua experiência nas redes e destaca importância da solidariedade.
Jaciara Dourado (Foto: Reprodução/Facebook)

“Será se beleza está somente no sorriso, na pele, no externo? Eu há um tempo atrás achei que sim! Mas aí, DEUS veio me mostrando que além de tudo isso, existia algo ainda mais fascinante... O Amor, o cuidado que as pessoas que a gente gosta e também gostam da gente, tem por nós”. As palavras são da jovem Jaciara Dourado, 26 anos, estudante universitária de Irecê diagnosticada com Leucemia Linfoide Aguda (LLA), um tipo de câncer que atinge os leucócitos (células brancas do sangue) e que começa na medula óssea. “Tudo começou com um cansaço inexplicável, muito sono... O cansaço chegava a doer. Logo depois surgiram umas manchinhas vermelhas nas pernas (...) Depois umas manchas grandes roxas parecendo pancadas”, relembra Jaciara, em conversa com a reportagem do Sertão Baiano. 


Os primeiros sintomas surgiram em janeiro deste ano, quando ela chegou a ser internada no Hospital Regional de Irecê, onde recebeu “oito bolsas de sangue e 14 de plaquetas”. Ainda sem diagnostico, foi transferida para o Hospital Roberto Santos, em Salvador, lá obteve a confirmação definitiva do LLA. “Só então fui regulada para o Hospital Aristides Maltez”, relembra. O tratamento teve início logo em seguida, com sessões de quimioterapia. A expectativa é de que ela seja submetida a quatro ciclos para destruir as células malignas. “Estou confiante que não precise de transplante de medula... Espero reagir bem, assim como no primeiro ciclo, que não tive reações”. 


Internada há cerca de 60 dias, Jaciara Dourado tem usado o Facebook para compartilhar informações sobre o tratamento e para incentivar as pessoas a doarem sangue e medula óssea. Além disso, ela também quer mostrar a outras pessoas que lutam contra o câncer que a coragem e o amor são elementos essenciais na luta pela vida. “Todos nós estamos vulneráveis... Mas, temos que enfrentar isso”, afirma, com lucidez e ternura, a jovem que após concluir o tratamento e ficar completamente curada pretende ser voluntária em hospital que trate de crianças com câncer. “Quero ajudar de alguma forma”. 

Doe vida, partilhe amor

Para doar sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos, estar em boas condições de saúde e pesar acima de 50 kg: homens podem doar até 4 vezes a cada 12 meses, com intervalo mínimo de 60 dias; mulheres podem doar até 3 vezes a cada 12 meses, com intervalo mínimo de 90 dias.

De acordo com informativo publicado no site do Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (GRAACC), "qualquer pessoa com idade entre 18 e 55 anos e boa saúde poderá doar medula óssea. Ela é retirada do interior dos ossos da bacia, através de punções, e se recompõe em apenas 15 dias". A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico e requer internação por, no mínimo, 24 horas. Normalmente, os doadores retornam às atividades habituais depois da primeira semana.

 

CLIQUE E SAIBA COMO AJUDAR:

Fonte: Daniel Pinto| Sertão Baiano

Comentários

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Irecê Repórter, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.