Brasil e Mundo

Mulher de Irecê moradora de rua em BH troca lua de mel pela companhia da cachorrinha

Mulher de Irecê moradora  de rua em BH troca lua de mel pela companhia da cachorrinha

Recém-casados em uma cerimônia que praticamente parou o trânsito na avenida Olegário Maciel, no Centro de Belo Horizonte, na tarde dessa quinta-feira (11), os pombinhos de rua Selma, 42 anos, e João, 28, tiveram que dispensar um dos presentes oferecidos a eles em favor de um motivo nobre: a cadelinha Lilica, companheira do casal, que vive em situação de rua.

Segundo Sérgio Riani, coordenador do Centro de Referencia Especializado da Assistência Social (Creas), um hotel da região ofereceu estadia ao casal para que comemorassem a lua de mel, mas eles agradeceram e recusaram o presente. "Além de os hoteis geralmente não permitirem a entrada de pets, o que deixaria a companheira deles de fora, a preocupação também era o ponto que eles tinham conquistado na rua, que poderia ser tomado", explicou.

Selma e João estão juntos há dois anos e há um moram em um ponto na região onde foi realizada a cerimônia de casamento, que, segundo Riani, é limpo e organizado na medida do possível. A intenção, agora, é que a equipe de abordagem continue acompanhando o casal e avance no sentido de levá-los ao acolhimento em um abrigo. "Eles sempre foram muito resistentes a irem para abrigos e afirmavam preferir a liberdade que têm na rua, mas agora, casados, eles podem ser encaminhados a um abrigo de famílias", contou Riani. Os abrigos de família, diferente dos femininos ou masculinos, permitiria uma autonomia aos dois como casal, inclusive a criação de Lilica no convívio familiar.

"O trabalho da equipe de abordagem é justamente acompanhar as pessoas em situação de rua e encontrar, juntos, a melhor forma de tirá-las dessa situação", contou Riani. O coordenador ainda explicou que Selma e João vêm sendo acompanhados há um ano pelas equipes e há cerca de três meses estão sendo efetivamente acessados. Os dois já foram inseridos no programa Bolsa Família e têm alimentação gratuita nos restaurantes populares de BH. "Agora esperamos que eles topem se mudar para um abrigo e deixem a situação de rua", concluiu.

 

Amor nas ruas

O casamento simbólico foi realizado pela equipe de abordagem que acompanha os moradores de rua da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania. Eles atuam com psicólogos e assistentes sociais no apoio da população em situação de rua e principalmente na busca de respostas para eles.

 Itaúna, na regiõa Centro-Oeste de Minas, e estão há dois anos morando nas ruas de BH.

Todos conheciam o desejo da Selma de se casar e tudo foi preparado com a ajuda dos comerciantes da região. A auxiliar administrativa Cristiane Aparecida da Cunha, que trabalha numa loja de embalagens da rua dos Tupis, fez o bolo de casamento. “O João recolhe papelão aqui na loja. Ele pediu balões para enfeitar a calçada, mas eu resolvi fazer o bolo, nós montamos a mesa com os doces. Quando ela viu o bolo até chorou”, conta.

Segundo a secretaria, eles tiveram o sonho realizado com todos os detalhes que um casal merece. O “dia de noiva” foi no Centro Integrado de Atendimento à Mulher, no bairro Lagoinha, na Região Noroeste. 

“A maioria das pessoas que estava em horário de almoço foi ao casamento. Todo mundo aqui da rua gosta muito deles”, conclui a auxiliar administrativa

*Com informações de Rosiane Cunha

Fonte: HOJE EM DIA

Comentários

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Irecê Repórter, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.