Denúncia: Filho, irmãs e sobrinho do prefeito de Jussara, Hailton Dias, receberam o Auxílio Emergencial de forma indevida

Denúncia: Filho, irmãs e sobrinho do prefeito de Jussara, Hailton Dias, receberam o Auxílio Emergencial de forma indevida

A caça aos nomes de pessoas que receberam, indevidamente, o Auxílio Emergencial na região de Irece, continua firme pelo Irecê  Repórter. Desta vez, nossos repórteres com o setor jurídico constataram que na cidae de Jussara, o clima entre parentes do prefeito Hailton Dias, é de alegria e despreocupação com recebimentos irregulares do Auxílio. 

Hugo Franklin Franca Dias, filho do prefeito de Jussara, Hailton Dias; as irmãs do prefeito, Iranete Alves Mendes de Carvalho, Iraneide Mendes Alves, e ainda o sobrinho e pré-candidato a prefeito de Jussara, Thiago Mendes Rocha, receberam parcelas do Auxílio Emergencial, um benefício destinado a famílias de baixa renda como suporte financeiro durante a Pandemia. O Irecê Repórter checou e encontrou os nomes dessas pessoas no Portal da Transparência, órgão oficial do Governo Federal. 

O Salário bruto de um prefeito é, em média, mais de R$ 20 mil, muito distante do que o Governo Federal estabeleceu como teto para o pagamento do benefício.

Segundo a Caixa Econômica Federal, não tem direito ao Auxílio Emergencial o cidadão que pertence à família com renda superior a três salários mínimos (R$ 3.135,00), ou cuja renda mensal por pessoa da família seja maior que meio salário mínimo (R$ 522,50)

Só na família do Prefeito Hailton, foram identificadas quatro pessoas que se beneficiaram de forma arbitrária, já que não fazem parte do público-alvo, que são famílias que estão na informalidade ou mesmo sem renda por conta da pandemia.

Muitas famílias estão tendo dificuldade de acessar esse benefício, que é voltado para as pessoas mais vulneráveis e que estão realmente precisando do Auxílio Emergencial. Nesse caso, pessoas que não precisam estão solicitando esse auxílio de forma irregular.

Na região, outros casos como esses estão recebendo o recurso sem o devido direito, já que as famílias possuem renda superior ao permitido para participação no Programa Auxílio Emergencial do Governo Federal. 

Quem fraudou o sistema ou recebeu indevidamente e não devolveu o recurso, pode inclusive responder criminalmente por isso, com pena de até 06 anos de prisão.

Até o momento desta publicação, não havia informações sobre devolução dos devidos valores pelos citados na denúncia. O espaço está aberto para as referidas defesas.

Seguem os comprovantes extraídos do Portal da Transparência. Nada fica oculto!

Comentários

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Irecê Repórter, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.